Como escolher um curso de Yoga na Índia

Quando decidi trancar a faculdade para viajar, um dos motivos que me levou a Índia foi minha vontade de me aprofundar no yoga, e com isso surgiu a ideia de fazer um curso de formação para ser professora. Só de imaginar estar na Índia bebendo direto da fonte milenar do yoga eu mal conseguia conter minha empolgação.

IMG_20151103_073112368

Yoga em frente ao Taj Mahal, em Agra

Ao começar a pesquisar sobre as opções de locais para fazer o curso, percebi que a busca não seria tão simples: centenas de escolas oferecendo cursos por todo país e eu aqui, há mais de 14000km de distância, tentando encontrar um lugar que preenchesse meus requisitos e me oferecesse uma boa formação. A questão é que minha ideia não é tão original assim, e milhares de turistas vão à Índia em busca das raízes do yoga todos os anos. Esse turismo de yoga transformou uma herança do país e prática enraizada na cultura local em um negócio (e um negócio muito lucrativo!) rapidamente: centenas de escolas oferecendo cursos caros e nem sempre da melhor qualidade, ávidos por estrangeiros com bolsos recheados com dólares e euros.

Os cursos de formação em yoga duram em sua maioria 200h, divididas em 3 semanas ou um mês de forma intensiva: aulas da manhã à noite, as vezes com um dia de folga no final de semana (ou, no caso do curso que eu fiz, sem nenhuma folga…). As aulas (que incluem filosofia, anatomia, alinhamento, além da prática de asanas, pranayamas e meditação, por exemplo) são ministradas em inglês e o valor normalmente inclui a comida e a acomodação por esse período.

Se você está pensando em fazer sua formação na Índia, eu sei que a variedade de opções pode te desorientar… mas deixa eu te dar a mão e algumas dicas pra que a escolha possa ser a mais adequada (para você) nessa busca!

COMO ESCOLHER O CURSO IDEAL PRA MIM? Alguns tópicos para pensar…

Onde eu vou parar?????? Muito possivelmente em Rishikesh, a capital mundial do yoga. Uma cidade linda, rodeada por montanhas e dividida ao meio pelo rio Ganges (sim, o cenário não poderia ser mais ideal): é lá que a maioria dos Ashrams e escolas se concentram. Mysore é outra cidade popular para formação, focada em Ashtanga Yoga; Goa (a praia mais popular da Índia) e McLeod Ganj (cidade no pé dos Himalaya, onde o Dalai Lama vive depois de sua fuga do Tibet) são outras cidades com grande concentração de cursos. Eu fui parar em um vilarejo no Kerala, estado do sul da Índia.

CAMERA

Me banhando na mãe Ganges, em Rishikesh

O que você está buscando? Definir o estilo de yoga que você quer aprender pode ser um bom início, pois os cursos normalmente são divididos entre Hatha e Ashtanga (apesar de algumas escolas afirmarem ensinar os dois). No Brasil eu já havia praticado os dois estilos, e decidi que iria buscar uma escola que tivesse boas recomendações e alunos satisfeitos: isso era mais importante para mim do que escolher uma linha específica (e a vida acabou me levando a fazer minha formação em hatha yoga).

Agora como eu inicio minha busca? Escolas vinculadas ao Yoga Alliance te certificam internacionalmente, ou seja, o certificado será válido ao redor do mundo. A princípio, a aliança surgiu para que pudesse haver um parâmetro para os alunos: todos os cursos vinculados precisam cobrir certos temas em suas aulas teóricas, por exemplo. Portanto, o site do Yoga Alliance pode ser uma boa pesquisa inicial.

Vale a pena pensar o quão importante é para você ter uma certificação internacional; ser vinculado ao Yoga Alliance não certifica qualidade (conheci diversos alunos insatisfeitos com seus cursos), e professores independentes (indianos que praticaram yoga a vida inteira e agora dividem seu conhecimento) muitas vezes não são vinculados. De qualquer maneira, pode ser um bom lugar para começar sua busca, antes de ampliar a pesquisa.

IMG-20151018-WA0001

Subindo pro primeiro mayurasana da vida, durante o treinamento.

Acho que encontrei meu lugar. Como saber se é uma boa escola? Depois de selecionar as escolas que mais haviam me agradado (com base nas informações de seus sites), procurei a página no facebook e, olhando as fotos, encontrei alunos marcados nas imagens ou nos comentários. E aí comecei a escrever mensagens: para cada escola interessante, eu mandava mensagem para ao menos dois alunos com tooooodas as minhas dúvidas (como é o curso? Os professores são bons? Você se sente preparado para dar aula? A parte da teoria é boa, ou o curso é mais focado no físico?). E conforme fui recebendo respostas percebi como é essencial entrar em contato com quem já esteve lá, pois falei com muita gente decepcionada com a escola que escolheu, dizendo que se soubesse antes como funcionava, teria ido para outro lugar: a comercialização do yoga era evidente, e em turmas com 30, 50 ou até 100 alunos, os professores não conseguiam dar atenção individual e auxiliar a todos. Em alguns casos, professores desqualificados davam aula sobre assuntos que não pareciam compreender com profundidade. Busque informação sem vergonha do contato com estranhos: garanto que todos ficaram muito felizes de me ajudar (ah, a comunidade do yoga… ❤ )

Observação: sabe aquele site todo arrumadinho, com imagens de uma paisagem pacífica e um monte de gente bonita e em forma em posições lindas que parecem fisicamente impossíveis? Talvez no ocidente ter um “site bonito/direitinho” seja um critério, mas não deixe isso ser na Índia! Sinceramente, algumas das escolas com o melhor feedback dos alunos eram aqueles sites meio bagunçados e nada atraentes – é a Índia! Estilo indiano.

Outras possibilidades…

Brasileiros ganham visto de 6 meses para a Índia. Se você tem esse tempo e também está planejando viajar, considere visitar as cidades citadas aqui antes de escolher! Chegando em Rishikesh, por exemplo, vá aos Ashrams e escolas que você encontrar, frequente aulas, conheça os professores e só depois se comprometa com a formação naquela escola. Não tem erro!

Apesar do custo de viajar pela Índia ser barato, a viagem até lá não é, e isso somado aos custos do curso (que geralmente giram em torno de 1200 a 4000 (!!!) dólares) pesa – e muito – no bolso de qualquer um. Diversas escolas aceitam Karma Yogis: estudantes que vão auxiliar na organização do curso, na cozinha, na limpeza, em qualquer coisa, e em troca recebem desconto ou mesmo não pagam pela formação. Mande um email para a escola que você tem em mente perguntando sobre a possibilidade. (Yoga é para todos! A escola que oferecer essa possibilidade não está só atrás do dinheiro dos turistas… já mostra bastante sobre o posicionamento e a ética deles.)

IMG_20151105_124419860

Natarajasana no templo jainista de Ranakpur, no Rajastão.

Para concluir: nenhuma escola é perfeita, e em 200h você NÃO VAI aprender tudo que o universo do yoga pode te ensinar – a prática dura a vida inteira, e não só três semanas! Dedicação enquanto estiver lá e a certeza de que a prática contínua é a única coisa que pode te trazer a experiência são fatores essenciais para que você não se decepcione e possa absorver ao máximo o que é oferecido. A experiência de praticar yoga na Índia é incrível e vai te deixar ainda mais apaixonado pelo caminho a ser trilhado.

ATUALIZAÇÃO (31/10/2016): inicialmente, não queria divulgar a escola onde fiz minha formação, porque realmente acredito que o que foi melhor pra mim não necessariamente será também a melhor opção pra você! Muita gente me escreveu pedindo para saber onde eu fiz minha formação e eu entendo a angústia de nem saber por onde começar, por isso divido agora com vocês que me formei no Tulasidalam School of Yoga Pada. Nessa postagem dei dicas sobre como começar a procurar por escolas, e sugiro que você realize essa pesquisa antes de optar por qualquer ashram. Se acabar indo pro Tulasidalam, diz pra Sindhu que a Julia do Brasil mandou um beijo e um abraço muito apertado ❤

Ficou alguma dúvida ou curiosidade? Manda mensagem na página do Viaje por si que eu faço o máximo pra te ajudar! Ah, aproveita e me conta o que mais você quer saber sobre viajar na Índia!

banner

 

Anúncios

30 comentários sobre “Como escolher um curso de Yoga na Índia

  1. cristiane leiko cristiane leiko tesima disse:

    OIe Julia! td bem?
    Amei seu texto! bem direto, simples e recheado de dicas!
    Qual escola vc estudou?voce poderia me orientar na escolha da escola? Voce fez apenas um curso la?
    muita gratidão!!!

    Curtir

  2. Lucia disse:

    Olá Julia!!
    Estou a pensar em ir à India e ando a pesquisar escola de Yoga e pelos vistos vou agradecer a sua ajuda… será que me pode enviar um email com a sua escolha e também o valor do mesmo?
    Grata,
    Lucia

    Curtir

  3. Keli Saraiva disse:

    Oi Júlia. Estou amando seu blog. Muito obrigada por sua generosidade em compartilhar essas preciosas informações. Tenho algumas dúvidas. Em qual escola vc fez o curso e quanto pagou? Tu ficou viajando pela Índia após o curso? Sozinha? Muito Obrigada. Beijão

    Curtir

    • viajeporsiblog disse:

      Keli, fico muito feliz em saber que essas informações estão te ajudando – afinal, é por isso que eu escrevo.
      Depois do curso segui viajando sozinha, e recomendo que tu leia os outros posts aqui do blog pra entender melhor sobre esse processo (de ser mulher viajante sozinha pela Índia e outros países da ásia!).
      Em relação ao curso, atualizei o post com algumas informações, dá uma olhada! Beijos!

      Curtir

  4. Caroline disse:

    Oi Júlia,
    Muito obrigada por dividir com a gente um pouco da sua experiência. Você poderia me enviar por e-mail algumas informações sobre as escolas que você conhece, preços, coisas assim? Estou procurando escolas na Índia, Tailândia, Indonésia… e se você pudesse me dar um norte ficaria muito grata. Mais uma vez parabéns pelo blog. Bjs.

    Curtir

    • viajeporsiblog disse:

      Oi Caroline!
      Atualizei o post com o ashram que fiz minha formação. Se você estiver procurando uma escola apenas para praticar (sem de fato fazer uma formação para ser instrutora), sugiro que entre na página do Yoga Alliance e procure por retiros, que várias opções vão surgir! Ademais, chegando em Rishikesh você vai encontrar diversas opções, por exemplo. Boa sorte na busca! Beijos

      Curtir

  5. Caroline Maia disse:

    Olá Júlia, tudo bem?
    Gostaria de agradecer por você dividir um pouquinho da sua experiência com a gente, o que é muito enriquecedor. Além disso, gostaria de pedir, se possível, que você me passasse por e-mail o nome dos ashrams que você conhece ou o que você foi, o preço… essas coisas. Mais uma vez parabéns pelo post.

    Curtir

  6. samaraboscolo disse:

    Olá Júlia tudo bem?
    Adorei seu relato, muito obrigada por compartilhar essas experiências!
    Estou procurando alguma escola de confiança na
    India já tem um tempinho e a escola que citou eu também já havia pesquisado…mas sempre ficamos com dúvida até ouvir de alguém que já foi! 🙂 Que bom saber que gostou. Minha dúvida, se for possível você esclarecer é claro…é se tem pessoas mais velhas nos ashrams ou somente jovens! Não são mais tão nova, tenho 31 e estou em uma fase de me redescobrir e em busca de um novo propósito…mas fico insegura em encontrar apenas garotada de 19/20 e me sentir um peixe fora d’água lá! rss
    Quanto aos karma yoguis, o que você recomendaria para saber se eles aceitam? Enviar um e-mail perguntando sobre essa questão é normal para eles? Sabe dizer se a escola que você fez aceita? Muuito obrigada! Beijos

    Curtir

    • viajeporsiblog disse:

      Então Samara, na turma que participei, a idade variava entre 19 até 35, se não me engano (e olha que eramos apenas cinco!). Sinceramente, acho mais provável você encontrar pessoas com 26 anos pra cima, do que pra baixo! Realmente, não se sinta “velha” pra isso, de verdade! Como já ouvi por aí: como um bom vinho, um(a) yogin(i) fica melhor com a idade 🙂 heheh
      Brincadeiras a parte, te diria pra ir sem essa preocupação.
      Sobre os karma yogis, onde fiz eles não aceitam, até porque como são turmas muito pequenas, eles não precisam dessa ajuda. Mas sim, recomendo que mande emails pras escolas que te interessam nesse sentido, é a melhor forma de descobrir! Deixa explícito qual o tipo de troca que tu oferta (o que tu pode oferecer de serviço a eles e o que tu espera em retribuição) que certamente receberá uma resposta.
      Boa sorte!

      Curtido por 1 pessoa

  7. Liege disse:

    Olá Julia tudo bem? Seu blog me esclareceu muitas dúvidas! Sou mochileira há 20 anos e o yoga está entrando na minha vida de uma maneira muito gratificante, porém, a dúvida que sempre soou foi? Onde? Qual formação…enfim, e o blog eio em um momento perfeito! Já enviei 2 emails para informação daquela escola que você concluiu sua formação, porém até o momento, sem respostas (indiayoga.com@gmail.com) Você lembra se a sua inscrição você fez por e-mail ou pessoalmente? Obrigada

    Curtir

    • viajeporsiblog disse:

      Oi Liege! Fico muito feliz que o post tenha te sjudado 🙂
      Me inscrevi por email sim, tambem demorou um pouco pra ter resposta a primeira vez… se por acaso ficar muito nervosa esperando, sugiro que ligue – mas nao te preocupa, é assim mesmo! Espero wue tudo de certo, vai ser uma experiencia muito proveitosa!!

      Curtir

  8. Ana Amaral disse:

    Oi Júlia! Gratidão por compartilhar suas experiências e dicas!
    Eu sou praticante e instrutora de Hatha Yoga e estou em busca de aprofundar os conhecimentos fazendo um curso na Índia!
    Me interesso muito pelo Vinyasana tbm (apesar de nunca ter praticado de fato)
    Busco pela certificação Internacional e conhecimentos em relação aos alinhamentos das posturas e meditação.
    Você pode me contar um pouco mais sobre sua experiência na escola que escolheu?
    Acho que será uma fonte de crescimento profissional e pessoal ter contato com o berço do Yoga!
    Hari Om Tat Sat!
    Namastê!

    Curtir

    • viajeporsiblog disse:

      Oi Ana!
      A grande maioria dos cursos na Índia oferece certificação internacional pela Yoga Alliance.
      No Tulasidalam, tinhamos um professor apenas para as aulas de alinhamento de asanas e seus benefícios, além de que a Sindhu, a guru, também me iluminou demais pra que eu percebesse detalhes muito pequenos no meu próprio alinhamento mas que no final faziam toda diferença na prática.
      Além disso, se tu quiser algo mais específico, em Rishikesh tem alguns professores que dão aula por fora dos cursos, só de alinhamento mesmo, por um preço bem acessível (só não fiz porque me faltava tempo).
      De qualquer maneira, seja qual for o curso escolhido, a experiencia de um curso na Índia vai ser muito impactanre na tua prática e na tua vida! É uma oportunidade incrível 🙂
      Fico à disposiçao pra qualquer outra dúvida!
      Namastê ❤

      Curtir

  9. Eluan disse:

    Boa noite Julia!!!
    Muito obrigada pela partilha de tanta experiencia.
    Estou aqui buscando fazer um curso de Yoga na Asia e me encantei pelo seu depoimento.
    Se tiver um tempinho queria algumas informações, na verdade sua opinião
    Você acha que o nível do inglês para ter bom aproveitamento no curso?
    Por acaso você também conheceu a Indonésia e pesquisou escolas por lá?
    Gratidão

    Curtir

    • viajeporsiblog disse:

      Oi Eluan! Que bom que o post te ajudou.
      Olha, pensa que todas as informações que tu receber vão ser em ingles, ou seja, o que tu nao entender sim pode te fazer falta no futuro. Recomendo um nivel intermediario/avançado com certeza!
      Sobre a Indonesia, nao fui, mas ja ouvi falar de muita gente que vai pra la pra isso. Sei que tem muitas escolas, é questao de pesquisar! Talvez em grupos de mochileiros na indonesia, no facebook?
      Abraço!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s